Com a boca no trombone

Livre arbítrio, liberdade de expressão, direito de falar… Você tem tudo isso e muito mais. Fale, grite, opine!!!

Homofobia, Respeito e Opinião

Sempre costumo falar de assuntos polêmicos, já que o blog serve para esse tipo de exercício: Falar sobre o que muita gente se incomoda em dizer. Deixo claro que aqui deixo a minha opinião pessoal, sempre procuro estudar um pouco sobre o assunto abordado para ter algum tipo de respaldo e não somente opinar por opinar, banalmente. Porém, espero que meus visitantes opinem, concordando ou não com o que for dito e deixando claro o seu ponto de vista. Então, vamos lá…

Homofobia_cartazNão sou a favor de maus-tratos, discriminação e nem de qualquer tipo de violência contra a vida humana. Porém, do mesmo modo que sou contra as cotas para negros (Acho que o fato de ser negro não incapacita ninguém a nada), também não posso deixar de expressar minha total desaprovação com itens do panfleto sobre o  Plano Nacional de Promoção da Cidadania e Direitos Humanos de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais. O deputado Bolsanaro não está de um todo errado quando se preocupa com os lugares onde serão postos em circulação tal panfleto. Escolas de ensino fundamental não é lugar para se tratar temas polêmicos/delicados, visto que crianças ainda não conseguem discernir claramente o certo do errado, nem o bom do ruim, etc. Conforme dito no post anterior[http://www.comabocanotrombone.com/maioridade-penal-em-busca-de-solucoes/], apenas a partir dos 12 anos, ela é considerada adolescente e sua fase de maturidade, começa a aflorar. Falar sobre o quanto é ruim ser preconceituoso, mau e violento é de total importância em todas as idades, mas falar sobre coisas do tipo: “Famílias brasileiras tem Orgulho de ter um gay”,”cotas para professor gay”, “batalhões policiais gays nos Estados”,”Bolsa Gay” e “MST Gay”…. aí já é DEMAIS. Qual o grau de discriminação você, leitor, acha que está contido em tais afirmativas?

Eu, por exemplo, tenho  amigos gays e lésbicas e não os vejo precisando de cotas para serem contratados, eles são bons no que fazem e sua opção sexual não diz respeito a ninguém.Muitas vezes eu me vejo obrigada a aceitar, a digerir e a concordar com certas decisões apenas para não ser taxada como homofóbica. Coretta Scott King, declarou: “A homofobia é como o racismo, o anti-semitismo e outras formas de intolerância na medida em que procura desumanizar um grande grupo de pessoas, negar a sua humandade, dignidade e personalidade.” Então, devemos ter muito cuidado ao afirmar que alguém é homofóbico, apenas por discordar de algo ou de alguém.

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) aprovou nesta terça-feira (14), por maioria de votos, uma resolução que proíbe cartórios de recusar a celebração de casamento civil de pessoas do mesmo sexo ou de negar a conversão de união estável de homossexuais em casamento. Eu tive um tipo de criação, tenho crenças religiosas e políticas, e muitas delas podem não ser as mesmas de fulano ou beltrano, então, por esse motivo, eu discordo dessa resolução. Não concordar com ela me torna homofóbica?

Gente, respeito é uma via de mão dupla, cada um deve fazer a sua parte e não apenas exigir respeito. Se as “intituladas minorias” querem ser respeitadas também devem respeitar as pessoas que divergem de suas opiniões.Aceitar e respeitar não é concordar com tudo!

#PenseNisso e  #FalaNoTrombone você também!

, , , , ,

7 thoughts on “Homofobia, Respeito e Opinião
  • Arnobio Jr. says:

    Não se deve olhar as pessoas como elas se apresentam e sim pelo que elas são. Todas são simplesmente pessoas.

  • sandra says:

    Bem, o respeito acima de tudo independente da opção sexual.Porém, eu não tenho que achar normal que pessoas do mesmo sexo casem como se fossem homem e mulher, todos nos fomos criados e educados sabendo que, menino namora menina, homem casa com mulher, não se discute sobre isso, nosso país é religioso e a palavra de Deus diz, crescei-vos e multiplicai-vos, então para que tanta discussão polêmica acerca desse assunto.
    Devemos respeitar qualquer ser HUMANO e pronto.

  • Acho todo tipo de radicalismo ignorante. Porém, vivemos em uma pluralidade cultural e comportamental muito grande depois da globalização e massificação da mídia. Condenar o que não concordamos é ignorância. Temos de pensar em primeiro lugar que somos pessoas. Todas as pessoas neste planeta estão “buscando a felicidade”. O método que cada uma utiliza é que varia. Esta variação gera polêmica. Polêmica queima muita energia e não extingue o “problema”. Portanto ,se há uma medida rasoável é a tolerância.

  • ANA PAULA DA SILVA VIANA says:

    Bem amiga uma vez vi alguem comentar assim… tenho um monte de amigos gays mas sou contra o casamento gay…. acho hipocrisia dizer que respeita mas não aceita… é não assumir que tem preconceitos… no comentario de quem diz que tem amigos gays mas é contra a sua felicidade, me desculpe nao é ser amigo… sabe o que acho? que A religião deveria estar dentro de cada um de nós, assim como o respeito ao proximo… sabe como e a melhor forma de amar ao proximo como a si mesmo? colocando-se no lugar do proximo… vc gostaria que alguem impedisse a sua felicidade? que dissesse que vc não tem o direito de se casar? Deus? duvido muito… quem disse isso foi o homem… pois o msm Deus que me fez hetera fez os gays e duvido muito que para Ele existe distinção entre seus filhos… no meu trabalho de Antropologia da Religião escrevi o seguinte……

    “O pior erro do etnocentrismo é sem duvida como o próprio nome diz é se colocar no centro da verdade absoluta e no campo religioso não é diferente. Cada religião se diz melhor que a outra, e a forma “correta” de se viver é de acordo com o que esta prega. Se cada uma diz a forma “correta” de se comportar como: casar virgem ( Católicos e Evangélicos), adorar imagens(católicos), usar saias compridas e cabelos longos (Evangélicos); não receber transfusão de sangue( testemunhas de Jeová), crer na reencarnação ( Espíritas), ignorando os que seguem parâmetros diferentes ou não seguem nenhum desses, sempre haverá esse problema etnocêntrico. Agora, se cada religião buscar respeitar as escolhas individuais sem julga-las como certo ou errado, a convivência social certamente será melhor. Sei que é um tema polêmico mas vou falar… quem disse que um casal que se ama não pode viver juntos sob a proteção de Deus porque são gays? Alguém pode me responder …a bíblia… mas a bíblia foi traduzida por homens e existe diversas formas de abstrair o que nela esta escrito. Outra coisa, se já foi comprovado que a homossexualidade é um “defeito” genético, ou seja a pessoa não escolhe (assim como a cor dos olhos, cabelos ou mesmo algum tipo de síndrome) , se Deus fez a pessoa daquele jeito, não é incoerente que Deus não abençoe a relação dessas pessoas? Alguém pode responder… Deus fala para multiplicarmos e numa relação homossexual não teria como se procriar portanto é pecado. E os casais heterossexuais que não podem ter filhos e optam por adotar estão pecado? Ai alguém pode dizer é diferente…. ai cai onde eu quero chegar…. E diferente por que? Deus disse isso? A Igreja? O Homem? Antes de mais nada quero dizer que sou casada, tenho uma filha linda e sou cristã. Por que estou falando isso? Talvez pra dar mais credibilidade a minha opinião? Ou talvez pra mostrar que tem como utilizar o relativismo cultural ( se colocar de fora de situação) pra enxergar tudo de forma neutra, sem rotular o “certo ou errado”? “

  • Adriana Vaz says:

    Amiga, seguinte…
    Disse ser contra o casamento gay e não que eles sejam felizes morando juntos ou com uma união estável, como era antes. De acordo com o dicionário Michaelis: casamento
    ca.sa.men.to
    sm (casar+mento2) 1 União legítima de homem e mulher. 2 União legal entre homem e mulher, para constituir família. 3 Cerimônia ou festa nupcial. 4 Sociol Um ou vários atos simbólicos sancionados por uma determinada sociedade com o objetivo de estabelecer uniões matrimoniais. C. civil: o que é realizado perante a autoridade civil, com as solenidades e exigências prescritas pela lei.
    Então pra mim, Adriana, a entidade do casamento é composta por um homem e uma mulher que se amam e se respeitam. A procriação vem depois e nem sempre eles sabem se poderão ter filhos. Porém um casal homo tem a CERTEZA de que não irá gerar um filho biológico.

    Quem se diz cristã, católica ou evengélica crê nas escrituras sagradas e na sua veracidade, que mesmo sendo escrita por homens, foram feitas com o poder do Espírito Santo de Deus sobre eles [religiosamente falando] logo, de acordo com a bíblia vêmos várias passagens que se mostram contra o homossexualismo ou qualquer fornicação pré-casamento, em geral:

    “Por causa disso, os entregou Deus a paixões infames; porque até as mulheres mudaram o modo natural de suas relações íntimas por outro, contrário à natureza; semelhantemente, os homens também, deixando o contacto natural da mulher, se inflamaram mutuamente em sua sensualidade, cometendo torpeza, homens com homens, e recebendo, em si mesmos, a merecida punição do seu erro” (Romanos 1:26-27).

    “Não vos enganeis: nem impuros, nem idólatras, nem adúlteros, nem efeminados, nem sodomitas . . . herdarão o reino de Deus” (1 Coríntios 6:9-10).

    Deus aprova as relações sexuais entre um homem e sua esposa legítima (de acordo com a lei de Deus). Todas as outras relações sexuais sejam homossexuais ou heterossexuais são sempre e absolutamente proibidas (Hebreus 13:4).
    Não nos cabe procurar desculpas para justificar o pecado. É nossa responsa-bilidade buscar o meio de vencer a tentação (1 Coríntios 10:13; Tiago 4:7-10).

    Lembrando mais uma vez: Amar e respeitar não é ter que concordar com tudo, todo momento. Também não sou Deus, que pra mim, é a única pessoa capaz julgar, de decidir se minha fornicação pré-casamento me levará ao inferno ou se um casal homossexual que tem uma conduta exemplar, merece me acompanhar ao mármore de fogo apenas por não se relacionar com o sexo oposto. Então cabe a qualquer um de nós vencermos as tentações, seguir as escrituras sagradas [cada um na sua religião] e procurar levar uma vida reta, ou o mais próximo disso.

  • Paulinha Flor says:

    Como qualquer tema polêmico nao existe certo ou errado existem pontos de vista. ..so fiquei confusa c uma coisa. .. vcnao e contra uniao estavel, viver juntos. …isso pra minha mim e casamento. …assinar um papel e mera formalidade exigida pelo sistema. .passei 12 p assinar um papel dizendo o que ja sabia que sou a mulher de Diogo. ..so fiz isso pq a sociedade cobra. Tudo e facilitado quando se segue o sistema. …se vc não ver prob nisso qual a diferença dessas pessoas assinarem um papel? ???? Nao vou ficar dando ênfase nesse tema..so acho que TODOS em direitos Iguais. …

  • Neto says:

    Não, a qualquer tipo de preconceito! Mas… a liberação desacerbada e errônea de informações e as evoluções das verdadeiras campanhas pelo movimento LGBT, ou seja lá qual sua atual nomenclatura, acaba influenciando na educação sexual e comportamental das crianças e principalmente dos adolescentes. Uma vez que difundida a mídia da maneira atual, não discutir nas escolas tal assunto não impediria que houvesse o contato. Não sou contra a união estável, nem a expressão de sentimentos. Mas o que está em completo desacordo é que as crianças estão acompanhando, principalmente pela internet, um embate onde a não aceitação do “diferente” será considerado indubitavelmente “crime”!… ou seja… se você não aceitar as cotas é racista, se você não for a favor dos movimentos homo-afetivos ou de afirmação da homo-sexualidade, você é RACISTA, HOMOFÓBICO! Isso sim é ABSURDO! Vamos sim tocar nos assuntos importantes à criação de nossos filhos e seu intelecto, para ensinar na hora de sua formação que eles tem que RESPEITAR e não simplesmente aceitar, pois esse tipo de aceitação por imposição, pode causar SITUAÇÃO! o que é completamente ímpar aos primórdios da criação. Até porque^, como explicam os especialistas, a criança terá sua descoberta sexual naturalmente durante a vida e seu crescimento.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>